Olá Pessoal, semana passada eu (Danilo Fonseca) e o Sergio Garbelini tivemos o prazer de participa do curso de Direção de Arte da ESPM, com o Prof. João Vicente Cegato Bertomeu @joaobertomeu, e garanto a vocês, foi sensacional, ótimos conceitos e referências para serem passadas a todos que sintam interesse em se torna um Diretor de Arte.

Nossa intenção em participar deste curso era tentar entender o conceito por trás de uma arte, como ela foi pensada, o porquê daquelas cores, o porquê daquelas imagens estarem posicionadas de tal maneira etc.

Logo no primeiro dia aprendemos que informações devem vim no briefing para que no final o conceito criativo seja criado e assim possa desenvolver uma arte diferenciada e com a certeza que será direcionada ao target desejado.

O Briefing:

São informações valiosas que farão a diferença lá na frente:

- FATO PRINCIPAL: É a situação de mercado que exige uma ação de comunicação para ser solucionada. Ex: Uma marca deseja crescer X porcento através da campanha publicitária.

- PROBLEMA QUE A COMUNICAÇÃO DEVE RESOLVER: Como vocês querem que o público assimilem a campanha ao produto. Ex: O carro com o design mais moderno do mercado.

- OBJETIVO DA COMUNICAÇÃO: Se a marca irá fazer um lançamento, relançamento ou sustentação de um produto. Ex: Novo Ford Fiesta, por ser um novo modelo de design, totalmente diferente do anterior, será um lançamento, pois ninguém havia visto este design anteriormente.

- PÚBLICO-ALVO: É uma forma ampla de saber qual é o público que receberá a campanha. Ex: Homens e mulheres com 20 a 40 anos, classe A,B e C.

- TARGET: Em qual público você irá focar a linguagem da sua campanha, algo mais focado, pensando em uma linguagem que apenas adultos intenderam, ou crianças, ou jovens e adultos. Ex: Homens e Mulheres de 24 a 38 anos.

- OBRIGATORIEDADES:  refere-se a tudo que não pode ser feito perante a lei, Ex: embaixo de um anúncio de remédio não ter as informações necessárias do ministério da saúde.

- LIMITAÇÕES: são todas as informações que o cliente não quer que retire ou mude em uma determinada campanha. Ex: mudança das cores, estrutura etc.

Você obtendo todas essas informações de forma clara e sustenta, terá condições de começar a elaborar o processo de criação do seu “Conceito Criativo”.

Legal, mais o que é o “Conceito Criativo”?

Nada mais  do que uma frase, expressão ou até mesmo pequenas informações que simbolizaram todo o conceito que a campanha deverá seguir:

Um exemplo que desenvolvemos durante o curso foi o Conceito Criativo para o novo Ford Fiesta.

“Ford Fiesta transforma você em referência da ousadia até para as pessoas com muito mais status. É você sempre a frente do que é contemporâneo.”

Show..  agora já temos algo que possamos nos basear para que nossa arte tenha sentindo para o público receptor da mensagem.

Um bom Diretor de Arte consegue entender o sentido de tal arte ou informação publicitária, abaixo algumas informações que lhe ajudaram nesta questão:

- CORES: Cada cor tem seu significado dentro da publicidade e mesmo que a sua intenção não seja expressar tal informação, usando uma cor errada ela consegue passar ao público uma mensagem que pode ir contra o que foi determinado no briefing.

  • Preto: Sofisticação;
  • Branco: Clean, Organização, respiro visual;
  • Azul: Estrutura, serve para mostra que é uma empresa consistente e segura de se trabalhar;
  • Azul Claro: Infantil;
  • Amarelo: Intensificação da percepção, muito utilizada quando deseja destacar algo;
  • Vermelho: Ligado a alimentação, mais pode-se trabalhar com variações de tonalidades, dando assim sensações diferentes, exemplo um tom mais escuro, ar de sofisticação, sedução etc;
  • Laranja: Aquecimento visual, também é bastante usada como o amarelo, para destacar alguma informação;
  • Marrom: Tradição, antigo;
  • Cinza: neutra, usada para tirar o destaque de alguma informação;
  • Rosa: Inocência, produtos infantis;
  • Verde: Assepsia, deixa o olhar calmo, usado geralmente para clínicas, hospitais etc.

- PRÍNCIPIOS DO LAYOUT

  • Equilíbrio: Divididos em formal/simétrico e informal/assimétrico:

Formal/simétrico: arte que tem um linha correta, todos seus objetos estão corretamente alinhados um com os outros.

Informal/assimétrico: Os objetos não seguem um linha correta, estão estruturados de forma desorientadas, mais não é por isso que esteja errado, usado para arte com conceitos mais arrojados.

Proporção: Tem como objetivo destinar uma área para o objeto ou texto que ganhará maior destaque, lembrando sempre,  apenas um terá uma proporção maior que os outros.

 

  • Direção Visual: É a direção para onde a pessoa que visualizará será direcionada, podendo se varias de varias formas:

Diagonal: Quem visualizará terá uma visualização na diagonal, de uma ponta a outra da imagem.

Centro Ótico: É o ponto um ponto acima do centro da imagem, usado para destacar com clareza um determinado produto ou informação.

Centro Geométrico:  Fica bem no centro da imagem.

 

  • Contraste: Evidencia um determinado elemento dentro da imagem, fazem com que ele fique totalmente em contraste aos determinados elementos, assim ganhando mais destaque. 
  • Unidade: Faz com que todos os elementos fiquem integrados de forma única, buscando deixar a arte integra com todos os elementos. 
  • Harmonia: Integra todos os elementos anteriores, serve para dar uma visão geral do que será transmitido na arte.

Agora que você já tem um briefing bem estruturado e com todas as informações necessárias e uma boa base de como deve ser feito seu layout, e só começar a trabalhar, essas técnicas servem para que você possa entender com clareza o conceito de uma arte e possa assim opinar com clareza sobre oque está está correto ou errado.

Danilo Fonseca

facebooktwittergoogle plus

Sou um profissional apaixonado pelo o que eu faço, busco conhecer e trazer sempre novidades de artes, fotografia, dicas de edições e claro, minhas opiniões sobre os acontecimentos e mudanças do mercado, atuo na @Goomark_br com search, designer, seo.